Macao Youth Symphony Orchestra

Oswaldo Veiga, regente
Cheong Hoi Leong, piano
Kiora Zou Cheng Lam, violoncelo
Hoi Yan Lok, violino

Beethoven - Concerto Tríplice em Dó maior, op. 56

O programa será antecedido por uma entrevista com o maestro Veiga Jardim.

Sobre a Orquestra
A Orquestra Jovem de Macau foi fundada em 1997, visando a proporcionar oportunidades de treinamento e execução musical para a juventude local. Desde a sua criação, o conjunto já se apresentou em mais de 800 concertos, mantendo séries anuais além de vários outros eventos musicais. Seus músicos são recrutados nas universidades locais e nas escolas primárias e secundárias. Em seus 23 anos de vida, a Sinfônica Jovem de Macau contou com a colaboração de vários regentes importantes da Europa e Ásia, além do macauense Lio Kuok Man e do carioca Oswaldo Veiga — que a dirige nesse programa. Também colaboraram com ela grandes solistas, como Jean-Philippe Collard e Alain Cumberland. A orquestra mantém um amplo programa de turnês internacionais, já tendo visitado França, Alemanha e Portugal, entre outros países.
Macau foi, desde o século XVI, um importante entreposto português. Ainda hoje se mantém como um enclave de lusitanidade em terras chinesas. Atualmente, esta pequena ex-colônia é uma das duas regiões administrativas especiais da República Popular da China, ao lado de Hong Kong.


Sobre o Programa
O programa traz o desafiador Concerto Tríplice em Dó maior, op. 56 de Ludwig van Beethoven, único do compositor dedicado a mais de um instrumento. Ele se apresenta sob a forma de uma sinfonia concertante, onde o percurso temático é dividido entre os três solistas, com uma certa predominância do violoncelo. Estreado em Viena em 1807, representa uma tentativa interessante do compositor para conciliar, em um novo quadro formal, o estilo dos trios da música de câmara, especialmente dos concerti grossi, em grande voga à época na capital austríaca. O concerto é estruturado em três movimentos: Allegro, Largo e Rondo alla Polacca.